14 de fevereiro de 2010

Regresso

É assim que te invento
Metade luz, metade terra
E a inconstância do espírito
Como colar de sombras
No teu colo dourado
 
Adivinho-te
Passo leve,
Aroma frágil
Corpo firme
Depois é que te vejo
A crescer com o desejo
De ser presença
No ermo da minha tarde

Sem opção
entre a humanidade que conheço
volto para ti e amanheço
nos teus braços
Maduro
 
E como boémio vadio por ti
Meu campo aberto
Minha noite de bruma
Não sei se é meu ou se li
Mas no mar em que me acerto
Sem ti sou só espuma

Edgardo Xavier

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Imagens/Pictures

Todas as fotografias aqui publicadas, salvo alguma referência em particular, são retiradas da internet. Agradeço que me informem, via e-mail, caso alguma esteja protegida pelos direitos de copyright. Retirá-la-ei de imediato.

Almost all pictures posted here are taken from the internet. If you have copyright over any of them, send me an e-mail and I will take it out.

RegistoCriativo Copyright 2008 Shoppaholic Designed by Ipiet Templates Image by Tadpole's Notez